As passarelas do inverno 2018  trouxe romance e sensualidade através de diferentes tipos de rendas.

 

Tule
Vamos começar com a mais versátil dentre todas. O Tule sem dúvida foi o protagonista das duas últimas estações, ele atuou em diferentes cenários,  foi do romântico até o visual mais agressivo, e trouxe leveza e charme para as composições.
O artigo pode ser composto por Poliéster ou Poliamida, e este último apesar de parecer na maioria das vezes no segmento de roupas intimas frequentou as passarelas dos estilistas mais renomados. A composição com poliéster permite volume e estabilidade para receber customização, como Elie Saab, Givenchy, e Dior que agregaram pedrarias e cristais, ou como Margiela, Stella MacCartney e Chloé que adicionaram um bordado desenhado por fio de titulagem mais grossa.
Confira abaixo a galeria de fotos, incluindo as pesquisas no varejo internacional, pela nossa plataforma de trendhunting Insp2.

 

Renda Guipure

Talvez a mais usada depois do Tule, onde registramos diferentes tipos de guipure no fast fashion.
Ela é uma opção de renda bem mais encorpada e trabalhada do que as outras, assim como o soutache, porém, o fundo da renda é vazio. É a opção bem interessante para apostar em aplicações e cores.

 


Confira ainda o que rolou na passarela e o que já está no Varejo internacional: Renda Francesa , Italiana, Richileu, Ponto Suíço e Renda Soutache.
Acesse com seu login e senha de assinante a Seção Insp2.

 

Imagens: Vogue Runway

“As imagens e fotos são meramente ilustrativas e referenciais da pesquisa apresentada, foram captadas em ambientes públicos e acessíveis a qualquer pessoa e não consiste em violação a direitos autorais ou a propriedade industrial nos termos do art. 46 da Lei 9.610/98. A TREND2/INSP2 não se responsabiliza pela reprodução, divulgação e comercialização dessas fotos e imagens por terceiros, sem a devida autorização.”2